Saiba Porque Deve Fazer Planejamento Financeiro Pessoal

O planejamento financeiro não deve ser encarado como algo a ser praticado somente pelas empresas, assim como, também não deve ser considerado como algo complexo de entender e colocar em prática.

Afinal de contas, a nível pessoal confrontamo-nos diariamente com conceitos como investimento, rendimentos/receitas, despesas, bens patrimoniais e, claro, o ponto de equilíbrio.

Vejamos, adquirir um automóvel trata-se de um investimento na medida em que estamos a empregar um determinado valor para melhorar a nossa qualidade de vida.

No que respeita a rendimentos/receitas na maioria dos casos estará relacionado com os nossos vencimentos e a qualquer outro valor que tenhamos recebido, por exemplo, por vendermos algo, como um automóvel usado.

O Que Deve Saber?

No caso das despesas é algo implícito e a que estamos infelizmente habituados, diz respeito a todos os gastos que efetuamos seja com serviços, considerados básicos como água, luz, eletricidade, bem como, qualquer outro gasto mesmo que pontual como uma ida ao médico ou até que não seja, digamos, obrigatório, como uma ida ao cabeleireiro.

Relativamente aos bens patrimoniais, de um modo mais lato podemos dizer que é tudo aquilo que possui e que pode ser convertido em dinheiro. Entre os bens patrimoniais constam por exemplo, a sua habitação própria, o seu automóvel, a sua televisão, entre outros.

Finalmente, quando falamos em ponto de equilíbrio referimo-nos também num sentido muito geral à necessidade de pelo menos conseguir alcançar o momento em que as suas despesas e os seus rendimentos se igualam evitando, deste modo que entre numa situação de rutura financeira.

Saiba Como se Antecipar

Como poderá constatar também o panejamento financeiro pessoal deve ser encarado como uma forma de antecipar cenários desastrosos como o sobre endividamento. Mas não só, este método permite-lhe munir-se de uma estratégia e deve ser encarado como uma alavanca no sucesso das suas finanças pessoais.

Face ao acima exposto, aconselhamos a que pratique determinados exercícios, como o controlar despesas, rendimentos, investimentos recorrendo, para o efeito, a um planejamento financeiro familiar em lhe é possível definir os seus objetivos a este nível com a maior segurança possível.

Por outro lado, é importante sublinhar que todo este processo deve ser feito em bases regulares. Ou seja, é importante que analise os dados acima referidos com alguma periodicidade. Aconselhamos, inclusivamente, que o faça pelo menos mensalmente. Pois desta forma, é possível ter uma maior noção se está no bom caminho para atingir um ponto de equilíbrio ou, se por outro lado, face à analise efetuada terá necessidade de adotar novas estratégias para atingir os seus fins.

Neste sentido, consideramos que a melhor forma de estar preparado é efetuar um planejamento financeiro de curto prazo, uma vez que desta forma não só lhe será possível controlar todas as questões a este nível como, também, mais rapidamente poderá implementar outras ou novas medidas em função dos resultados naquele momento.

Como Analisar a Sua Situação Financeira a Curto Prazo?

Segue-se um cenário de exemplo, imaginando que não faz planejamento a curto prazo.

Num determinado mês em que tem X de encargos e Y de rendimentos, decide efetuar o investimento Z. Não efetuou uma análise criteriosa da situação financeira que possui, não contemplou portanto encargos inesperados, isto pode resultar num aumento das despesas acima das suas possibilidades e consequentemente criar-lhe grandes dificuldades a médio longo prazo.

Em suma, é importante que esteja a par das suas finanças e é preciso que recorra a procedimentos que lhe possibilitem não só poder viver a sua vida de forma desafogada mas também de modo a que possa alcançar tudo aquilo a que se propôs durante a mesma.

About Finanças Pessoais
Aqui vai encontrar as melhores informações sobre Finanças Pessoais. Aprenda a poupar, a ganhar, a investir, a viajar e muito mais...

Leave a comment

Your email address will not be published.

*