O que a mulher empregada deve fazer perante a crise

Face ao cenário de crise generalizado, que medidas pode tomar uma mulher que esteja empregada para minorar os efeitos. Que ações podem ajudar a minimizar esse embate no orçamento familiar.

– Procure uma informação correta sobre a empresa onde trabalha. Pode ter um plano estável, ou estar de algum modo vulnerável no plano económico e ter de reduzir pessoal. Se for o caso é sempre melhor procurar um novo emprego enquanto ainda está a trabalhar, do que desempregada. Seja realista e não se deixe influenciar por notícias alarmistas.

– Na maioria dos casos não haverá aumentos salariais. Antes pelo contrário existem cortes no subsídio de férias e Natal. Como os bens de consumo aumentam, necessita rever cuidadosamente o seu orçamento e ver onde pode poupar.

– Também as progressões na carreira estão na maioria das empresas congeladas. Será prudente não contar com uma promoção que lhe foi prometida e lhe daria um pouco mais de dinheiro, sem que ela na realidade se torne efetiva.

– Tente em 2011 com a parte que recebe do subsídio de Natal, pagar dívidas mais urgentes. Repare por ex. se pode liquidar algumas prestações do seu cartão de crédito, pagar o condomínio em atraso, etc. Liberte-se o mais possível de dívidas financeiras.

Defina que Despesas São Afinal Imprescindíveis

– Evite contrair dívidas (empréstimos de caráter pessoal) sem que haja uma justificação muito clara. Por ex. prescinda do novo vestido do reveillon, das prendas exorbitantes, etc. Os juros de um crédito pessoal são demasiado elevados. Não comece o ano atolada em dívidas.

– Refaça todos os seus planos. Se planeava fazer uma viagem, um investimento num carro novo, ou qualquer outro, certifique-se que a sua margem financeira têm suficiente “folga” para isso e que não vai ficar de corda ao pescoço. É preferível adiar por uns meses os seus planos.

Sensibilize Toda a Família a Poupar

– Converse com a família, com os filhos especialmente e explique claramente que está perante um ciclo de vida devido aos problemas financeiros, que precisa da colaboração de todos. Reveja as mesadas dos filhos, as prestações da escola ou faculdade, os gastos supérfluos que podem ser reduzidos. Escolha por ex. um plano de telemóvel que melhor se adapte a todos e permita que entre a família se fale de forma “gratuita”. Isso está disponível em todas as operadoras móveis.

– Se não possui porque o dinheiro nunca chega, faça um esforço e comece a fazer uma pequena reserva para fazer face a uma emergência. Deve ser uma mulher prevenida.

– Explique, mas não entre em discussões com a família, porque é sempre difícil as pessoas adaptarem-se a mudanças de hábitos.

Ideias simples que lhe propomos e que podem fazer a diferença entre manter o controle da sua situação financeira ou “perder o controle das suas finanças pessoais”

About Fernanda Farinha
Fernanda Farinha é consultora financeira de várias empresas numa multinacional e escreve sobre os mais variados assuntos de finanças pessoais.

Leave a comment

Your email address will not be published.

*