Aprenda Como Eliminar as Suas Dívidas

A maioria das pessoas não teve qualquer educação financeira. Nem na escola, nem dentro da família ou com os amigos. Isso leva a que tomem más decisões e acabem por acumular uma lista de dividas.

Por isso, aqui ficam algumas dicas de como deve comportar-se para evitar endividar-se de forma incomportável.

Ter objectivos

Quando somos jovens, a reforma parece uma coisa impossível, que apenas os idosos se devem preocupar. Isto é um erro, porque já aqui vimos o poder dos juros compostos e de iniciar as poupanças e os investimentos o mais cedo possível.

A reforma deverá ser um dos nossos objectivos, para não virmos a contrair dividas no final da vida, que deverá ser uma fase tranquila em termos financeiros.

Além da reforma, deverá planear outros objectivos que custam a pagar, como viagens, educação, casas, carros, etc. Quando não faz esse planeamento, o que acontece é que compra impulsivamente a crédito e assim começa o sofrimento financeiro.

O primeiro objectivo que devemos ter é, eliminar as dividas, para depois nos concentrarmos em objectivos mais interessantes para a nossa felicidade.

A força de criarmos objectivos é que passamos a ter uma razão muito forte para poupar dinheiro e essa razão motiva-nos a fazer pequenos sacrifícios hoje para colher os frutos amanhã.

Criar um fundo de emergência

Criar um fundo de emergência é um dos primeiros passos recomendados no domínio das finanças pessoais. Ninguém sabe o que pode acontecer amanhã e é muito difícil que tudo corra como planeado. Um acidente de carro, uma infelicidade de um familiar, o desemprego, etc.

Sem um fundo de emergência para estas ocasiões, temos de recorrer a crédito rapidamente para nos financiarmos. Estes créditos têm sempre juros mais elevados devido à sua composição.

Se acontecer ter de contrair uma dívida para um caso destes, deverá concentrar-se em pagar completamente esse empréstimo de curta duração e, logo a seguir, criar um fundo de emergência.

Fazer orçamento doméstico

Depois de decidir terminar com as dividas, é hora de dar o primeiro passo prático. Esse passo consiste em fazer um orçamento doméstico para anotar todas as receitas e despesas. Quando não sabemos para onde vai o dinheiro, não sabemos onde poupar e andamos à deriva. Existem muitos programas de computador que ajudam nessa tarefa, mas até uma simples folha de cálculo é suficiente para dar essa informação.

Eliminar as dividas com o método bola de neve

O método bola de neve é excelente para que o processo de eliminar dívidas funcione na perfeição, porque não é apenas uma questão matemática, é também uma questão mental e esta é normalmente mais forte que tudo o resto.

Ao irmos eliminando as pequenas dividas em primeiro lugar, ficamos com uma motivação extraordinária para continuarmos no bom caminho para as grandes dividas.

Com estes pequenos truques conseguirá desenvolver um processo prático para atacar as dividas e viver muito mais tranquilo consigo mesmo.

Vantagens de não ter dívida

Os problemas financeiros podem afectar todo o nosso bem-estar, que seja físico ou psicológico. Uma dívida descontrolada é suficiente para que passemos a dormir mal, comer mal e ter um mal-estar durante todo o dia derivado das preocupações sobre o pagamento da dívida.

Para o motivar, aqui ficam algumas vantagens de não ter qualquer dívida acumulada.

  • Viver sem pressões desnecessárias sabe muito bem. Podemos ter os nossos objectivos e lutar por eles, mas estamos a fazê-lo porque queremos e não porque precisamos desesperadamente de ganhar dinheiro para pagar uma dívida. Podemos dormir descansados sabendo que tudo está a correr bem financeiramente.
  • O dinheiro que recebe todos os meses é inteiramente seu. Pode escolher onde o gastar porque não tem destino logo à partida. Pode até atirá-lo pela janela, porque não deve nada a ninguém (embora não seja a atitude mais sensata…).
  • Não tem grandes discussões com o seu parceiro, já que os problemas financeiros são responsáveis por muitas lutas de casais e por muitos divórcios. Se tudo estiver bem nesta área, apenas necessitam de decidir onde vão investir o dinheiro que ganharam, ou seja, decidir como vai ser o futuro e isso aproxima os casais, em vez de os afastar.
  • Simplifica muito o orçamento doméstico, porque não precisa de se preocupar com datas limites de pagamento, multas por atraso e até custos judiciais por atrasos de pagamento. Além disso, não terá cobradores de dívida atrás de si.
  • Pode fazer investimentos a longo prazo sem preocupação, porque sabe que não necessita do dinheiro imediatamente para fazer um pagamento extraordinário de uma dívida. Pode começar a investir na bolsa. Se o mercado subir, é óptimo, mas se o mercado descer também está salvaguardado porque o tempo corre a seu favor.
  • Pode planear todos os investimentos e provavelmente poupar dinheiro para todos ao mesmo tempo, consoante os seus objectivos. Preparar a educação dos seus filhos, preparar a reforma ou preparar uma compra mais elevada são exemplos disso mesmo.
  • Pode doar mais dinheiro e assim ajudar mais os outros. Quando não temos dinheiro para nós, a última coisa em que podemos pensar é ajudar a comunidade, mas se conseguirmos retirar um pouco dos nossos rendimentos e mesmo assim cumprir os nossos objectivos, será fantástico.

Existem tantas vantagens em não termos nenhuma dívida, que é impossível mencionar todas, mas basta reflectir um pouco na sua situação e encontrará mais uma dezena de razões pelas quais não se deve endividar.

Dicas para reduzir a dívida

Ninguém gosta de estar em divida, mas muitas pessoas têm acções que contrariam esse desejo, por isso aqui ficam algumas dicas para evitar uma situação de endividamento e, caso já esteja, aprender a sair dela.

Cuidado com as tentações

Se tem uma fraqueza por algo que ache ser um desperdício mas não consegue evitar comprar quando está perante essa tentação, então afaste-se o mais possível para que não surja a oportunidade de gastar dinheiro.

Pode ser o gosto por discos de vinil, livros de banda desenhada, anéis, relógios, etc. Embora não seja errado gostar de fazer colecções e apreciar certo tipo de produtos, quando está a tentar eliminar a divida tem de se controlar para não fazer este tipo de gastos que são desnecessários por não serem produtos básicos.

Não pense nos erros do passado

Tem de dar o seu melhor diariamente para evitar cair em tentação de gastos supérfluos, mas não deve remoer a consciência se alguma vez fraquejar e comprar alguma destas coisas. Não se deixe ir abaixo por uma recaída destas, mas antes analise conscientemente porque é que comprou algo que não devia ter comprado e tome medidas para não voltar a acontecer.

Deixe de visitar o estabelecimento onde acaba sempre por comprar o que não precisa. Se for preciso mude o seu caminho diário para o emprego para evitar esse local. Pode também deixar de andar com cartões no bolso e passar a andar apenas com o dinheiro que precisa para o próprio dia.

Abata a divida se ganhar mais

Um dos erros mais frequentes, que levam ao acumular da divida, é o de gastarmos mais dinheiro quando somos aumentados no emprego ou ganhamos algum dinheiro extra, como um prémio de jogo, um prémio de produtividade, uma devolução de impostos ou qualquer outra receita.

Há quem pegue nesse dinheiro e aproveite para comprar logo produtos que, de outra forma, não iria comprar. Mas se apenas compra porque tem mais dinheiro é porque esses produtos não são assim tão importantes para si. Coisas como: comprar uma nova televisão, uma nova bicicleta, um novo carro, mais canais por cabo, etc.

Nestes casos, os rendimentos extra não se traduzem em maiores poupanças ou maiores investimentos e sim em gastos imediatos noutras coisas.

Se está numa situação de divida, deverá utilizar estes rendimentos extraordinários para sair mais rapidamente dessa situação. Veja como ganhar mais dinheiro.

A decisão inteligente para reduzir rapidamente as dívidas não é aumentar o nível de vida, mas sim diminuir o nível de vida para uma vida mais simples. Corte onde puder até concluir a sua missão de estar livre de dívidas e depois poderá pensar em melhorar as suas condições de vida.

Procure ajuda para eliminar a divida

Não sendo uma doença de vício, como o álcool ou as drogas, é possível ficar enredado de tal forma nas dívidas que será muito difícil sair delas sozinho.

Não tente esconder que está endividado e procure ajuda na comunidade, porque existem muitas pessoas nas mesmas situações que lhe podem dar força e dicas para ultrapassar os obstáculos que necessita.

Procure ajuda na Internet e certamente encontrará que o consiga apoiar nesse caminho.

Pense nos benefícios de viver sem divida

O sentimento de liberdade que vai ter, quando deixar de estar endividado, é tão grande que vai ver que vale a pena fazer os sacrifícios que está a fazer. Todo o dinheiro que ganhar será para si e poderá escolher gastá-lo onde quiser.

Eliminar a divida é um jogo psicológico e não matemático, porque senão todos podíamos ser ricos e não ter dívidas. Embora seja importante conhecer como funcionam os aspectos fundamentais das finanças pessoais, deve esforçar-se por se conhecer melhor e o que o leva a ‘desejar’ os bens materiais sabendo que o vão prejudicar mentalmente, quando não tiver dinheiro para os pagar.

Está dominado pelas dívidas?

Se passa parte do seu dia preocupado com as dividasque tem, alguma coisa está mal nas suas finanças pessoais. Está na altura de começar a dedicar o seu esforço para pagar o seu endividamento.

  • Comece por criar um fundo de emergência. Vá poupando até conseguir dinheiro para viver cerca de seis meses sem rendimentos.
  • Comece a pagar a divida mais baixa, para se livrar desse empréstimo em primeiro lugar. Depois avance para a divida seguinte até chegar à última divida (excluindo o empréstimo para a habitação).
  • Planeie as suas finanças a médio prazo. Faça um orçamento familiar e escreva os objectivos que pretende atingir no próximo ano. Depois faça o mesmo para os 3 e 5 anos seguintes.
  • Planeie os objectivos a longo prazo. Comece já a decidir se vai querer uma reforma mais confortável ou pagar os estudos dos seus filhos. Sabendo o que pretende, poderá poupar de acordo com o que definiu. Se pretende mudar de casa ou comprar mais alguns carros até ao fim da vida, coloque esses objectivos também.

São decisões que o obrigarão a reflectir sobre o rumo que deseja traçar na sua vida, mas também o ajudarão a ganhar forças para sair das dividas que não o deixam dormir de noite. Depois decida se é melhor investir na bolsa, colocar o dinheiro numa conta poupança, consolidar os créditos, ganhar mais dinheiro, baixar o nível de vida para uma vida mais simples.

Se já está com problemas com dívidas

Não entre em pânico se já entrou em dívida, porque é sempre possível dar a volta e regressar a uma situação de normalidade financeira. É difícil, mas qualquer pessoa consegue fazer.

É importante tomar consciência do facto de estar endividado muito acima das suas possibilidades de pagamento. Não há nada pior do que tentar esconder a realidade de uma situação difícil, porque isso apenas trará maiores complicações no futuro.

O passo seguinte é procurar ajuda, porque existem muitas organizações que auxiliam as pessoas que têm problemas de dívidas incomportáveis. Estas organizações fazem-no gratuitamente, na maioria das vezes.

Existem também empresas que fazem planeamentos financeiros e ajudam a escolher a melhor solução para o seu caso. Muitas vezes é uma questão de consolidar os créditos durante alguns anos, para conseguir baixar substancialmente as dívidas. São empresas de aconselhamento de crédito que valem a pena visitar e, por vezes, contratar.

Procure ajuda em fóruns da especialidade e em sites dedicados a ajudar as pessoas em dificuldades financeiras, devido à dívida acumulada para valores acima das suas receitas. Não só escuta bons conselhos, como encontra outras pessoas na mesma situação que se tentam ajudar mutuamente.

Dívida e problemas pessoais

As dívidas levam a separação dos casais e a fortes batalhas judiciais, tudo por causa de uma má decisão no passado, que pensava não ir levantar problemas, mas quando deu por si já não conseguia fazer face às suas obrigações financeiras, entrando em dívida.

Mas mesmo que tenha entrado em dívidas por motivos sobre os quais não tinha grande influência, como a morte de um cônjuge ou um acidente grave, é necessário encontrar em si a disciplina necessária para enfrentar as dívidas.

As dívidas são um sintoma e não o problema de fundo. O que tem de fazer inicialmente é deixar de gastar tanto dinheiro, reduzindo as despesas. Assim, deixa de necessitar de pedir emprestado e conseguirá mais tarde aumentar os pagamentos mensais para a redução da dívida.

Portanto, o conselho mais importante é, reconheça que tem dívidas e comece a reduzir despesas. Com determinação e muito trabalho, conseguirá eliminar a dívida.

Outras Alternativas Para se Livrar das Dívidas

Quem tem problemas financeiras e já está em dívida, precisa de conhecer as várias formas de reduzir ou eliminar totalmente as dívidas que contraiu. Aqui ficam algumas dicas para o ajudar a atacar de frente a dívida.

Fazer um orçamento

Aprenda a fazer um orçamento familiar, porque conhecerá melhor a situação financeira. Para onde vai e de onde vem o dinheiro durante o mês.

Depois é pagar a dívida o mais rápido possível e durante esse período ter a menor taxa de juros possível.

Usar as poupanças para pagar a dívida

O valor dos juros nas poupanças é normalmente muito mais baixo do que os que são cobrados quando temos dívidas. Não é vantajoso ter o dinheiro a render 2% ao ano, quando está a pagar 20% nos cartões de crédito.

Com o valor que abate nas dívidas será possível conseguir depois fazer pagamentos superiores ao mínimo obrigatório e isto ajudará a eliminar a dívida rapidamente.

Os cartões de crédito já vêm por defeito com um pagamento mínimo obrigatório baixo para que fiquemos vários anos a pagar a mesma dívida, mesmo que a conseguíssemos pagar em poucos meses.

Consolidação de créditos

Uma das melhores formas de baixar rapidamente o valor das dívidas, é consolidar os créditos todos, pagando menos mensalmente mas durante mais anos.

Para conseguir estes créditos tem de hipotecar os seus bens, por isso tem de analisar cuidadosamente a situação. Esta solução é boa para o curto prazo, mas se não fizer nada para baixar o valor em dívida o valor final do empréstimo será maior do que os anteriores.

Com algum planeamento, muita dedicação e, principalmente, não contraindo mais dívida, conseguirá livrar-se do endividamento e ter uma situação financeira confortável.

Qual é a extensão das dívidas?

Se tem problemas com dívidas, o mais importante não é o valor da dívidaem si, mas antes a sua capacidade relativa de pagar o empréstimo que efectuou.

Por exemplo, se a soma das dívidas anuais é maior do que o total dos seus rendimentos no ano, então está numa situação grave, porque significa que vai ter trabalhar durante mais do que um ano para as pagar, ou então ganhar mais dinheiro durante esse ano.

Termos dívidas é normal, para financiarmos compras que de outra forma levariam anos a concretizar. O mais flagrante é o caso de comprar uma casa.

Se fizer um planeamento correcto dos seus investimentos, pode também planear as dívidas que vai contrair e ter um plano para o seu pagamento.

No caso das empresas é normal fazerem empréstimos para investimentos que mais tarde são rentabilizados e levam a um crescimento mais acelerado. Mas essas dívidas são acompanhadas de planos de investimento bem planeado. No caso dos particulares, deveria funcionar da mesma forma. Contrair uma dívida para investimento, por exemplo na criação de uma empresa, pode trazer benefícios a longo prazo.

O problema surge, quando nos endividamos sem saber muito bem porquê. Fomos utilizando os cartões de crédito para fazer compras desnecessárias, como férias, televisões, etc.

Não pedir mais empréstimos

A primeira coisa a fazer para sair da dívida, é deixar de pedir emprestado. Desta forma, não acumula mais dívidas não planeadas. Parece fácil fazer, mas por vezes é complicado convencer a sua mente a tomar esta decisão.

Depois pode tentar passar os créditos para uma empresa com melhores condições. Uma das soluções mais utilizadas é fazer um crédito consolidado para baixar as prestações imediatas e depois fazer pagamentos extra para baixar o valor total da vida.

Dê pequenos passos de cada vez para resolver o problema das dívidas e ficar com todo o dinheiro que ganha, para si.

Como Pagar as Suas Dívidas

Você pode obter todos os tipos de maus conselhos, se não for cuidadoso. E não estamos a falar apenas sobre o tipo de conselho que está à procura para sair da dívida.

Você pode obter aconselhamento mau sobre alimentação, conselho de relacionamentos ruins, e certamente há muitos maus conselhos quando se trata de sair da dívida. Na maioria das vezes parece bom demais para ser verdade e provavelmente é. Mas há alguns pedaços de informação que sempre funcionam quando se trata de pagar as suas dívidas.

O primeiro conselho que realmente precisa de ouvir quando se trata de eliminar a dívida, é parar de ficar em dívida! Toda a vez que você pede dinheiro pode imaginar-se com uma pá a apanhar o lixo e a lançá-lo para o lado. Não passará muito tempo antes de que o buraco que você cavou seja tão profundo que não se sabe como será capaz de sair dele. Assim, a regra número um é colocar a pá no chão e parar de cavar.

Depois de ter parado a escavação, tem que começar a encher o buraco e isso vai levar tempo e esforço para conseguir. Isso significa fazer um orçamento, cortando para trás em coisas inúteis, e usar o dinheiro extra para pagar as suas dívidas aos fornecedores.

Não é o que você quer ouvir, mas é o único conselho que deve ouvir…

Esqueça a consolidação da dívida, esqueça alavancar a sua casa, faça um compromisso real para pagar as suas dívidas, corte os seus cartões, e nunca pegue noutra pá. Sair da dívida pode ser muito difícil, mas nunca é impossível. Você apenas tem que decidir tomar o conselho certo.

A Forma Simples de Reduzir as Dívidas

Você sabe o que é sentar-se na mesa com uma pilha de contas com 6 centímetros de espessura. Cada cêntimo do seu salário desaparece antes de chegar à sua conta bancária.

Embora a ideia de viver livre da dívida soe fantástico, você pode não saber como chegar lá, ou mesmo se é possível. A boa notícia é que uma vida sem dívida é absolutamente possível para qualquer um, é só ter alguma dedicação e paciência. A chave para a vida livre da dívida encontra-se na disciplina financeira.

Se você tem muita dívida, isso significa que gasta muito dinheiro. Isso é tudo que existe realmente, você pode pôr a culpa num monte de coisas, e muitas vezes há situações, como doenças que surgem, que estão completamente fora do seu controlo. Mas a maioria das pessoas estão profundamente endividados, porque estão a gastar dinheiro que não lhes pertence, em coisas que não querem esperar para ter.

Em poucos anos, a maior parte das coisas que você comprou já está no lixo, mas a dívida ainda está lá. Não só isso, porque vai ficando cada vez maior, devido aos juros.

A boa notícia é que existe uma solução muito simples para sair da dívida. Viver livre de dívida significa seguir algumas regras muito simples durante o tempo que for preciso para saldar a sua dívida.

O primeiro passo é lançar seus cartões de crédito no liquidificador. Cortá-los, queimá-los, deixar os cães mastigarem-nos, mandá-los para o lixo, ou dá-los a qualquer pessoa para se certificar de que você nunca mais os vai usar novamente.

A única maneira de sair da dívida é começar por nunca entrar em mais nenhuma dívida.

O próximo passo é começar a redução do seu orçamento. A fim de saldar a sua dívida você vai ter que libertar algum dinheiro extra a partir do seu salário para pagar as dívidas que já tem.

As duas únicas maneiras de fazer isso são aumentar o seu rendimento e reduzir os seus gastos para que haja mais dinheiro disponível para pagar as dívidas. A combinação das duas vai funcionar melhor, claro, só depende de quão rápido se quer ser livre da dívida.

Uma vez que você parou de aumentar as despesas, e começou a pagar as suas dívidas actuais, a única coisa que resta é a disciplina da paciência. Você precisa fazer um compromisso com a vida livre de dívida ou nunca vai conseguir fazer isso.

Vai demorar alguns anos mas depois será capaz de manter muito mais tempo o dinheiro que você ganha em sua posse.

About Finanças Pessoais
Aqui vai encontrar as melhores informações sobre Finanças Pessoais. Aprenda a poupar, a ganhar, a investir, a viajar e muito mais...

Leave a comment

Your email address will not be published.

*