Princípios de Finanças Pessoais

Todos nós queremos viver melhor, com mais dinheiro e conforto, sabendo que para isso é necessário poupar dinheiro nas nossas finanças pessoais, a menos que ganhe tanto dinheiro que não precisa de se preocupar com isso, mas isso apenas está ao alcance dos multimilionários (uma parte reduzida da população).

Além disso, é importante que consigamos viver felizes sem ser com a obsessão pelo dinheiro, porque não é apenas o dinheiro que nos faz viver felizes.

Existem algumas regras básicas para conseguir ter uma vida sem preocupações em termos financeiros, podendo depois concentrar-se naquilo que o faz feliz.

Gaste menos do que ganha

Esta é uma das fórmulas para quem quer ficar rico ao longo do tempo, mas funciona de igual forma para quem deseja não ter problemas nas suas finanças pessoais. Se gastar menos do que ganha é garantido que nunca terá de se preocupar com dinheiro.

Para conseguirmos cumprir este propósito devemos analisar todas as compras que fazemos, principalmente aquelas em que teremos de nos endividar durante os anos seguintes, como carros, electrodomésticos, férias, etc. Um dos problemas das famílias é que acreditam sempre que o futuro será melhor, mas pode acontecer o inverso e ter um percalço na vida (um despedimento, um acidente, etc.) que o coloque em piores condições financeiras no futuro. Para evitar esse problema, deverá sempre manter uma margem de manobra para eventuais dificuldades. Uma das primeiras coisas a fazer é garantir um fundo de emergência, para garantir uma almofada para dias difíceis. De seguida deverá fazer um orçamento doméstico, para orientar as despesas no mês seguinte.

Se ainda não está a conseguir gastar menos do que ganha, tem de começar a cortar despesas nas várias áreas das suas finanças pessoais. Almoços em restaurantes, roupa, combustível, transportes, diversão e outras que façam sentido. Comece por cortar pouco no orçamento (5€ ou 10€ por mês em cada categoria), verá que no final do mês sentirá a diferença (e no final do ano ainda mais).

Prepare-se para o inesperado

Como já foi referido, o futuro pode não ser tão agradável como aquilo que imagina e tem de tomar uma decisão hoje.

  • Prefere poupar dinheiro e viver um pouco abaixo das suas possibilidades hoje, mas garantir dinheiro suficiente para uma infelicidade amanhã?
  • Prefere viver sem poupar dinheiro algum hoje e se aparecer uma infelicidade no futuro logo se resolve?

Obviamente que a segunda solução é aquela que trará problemas no futuro, caso alguma coisa má aconteça, porque nessa altura irá procurar uma solução à pressa, que passa normalmente por se endividar e assim começam todos os problemas com o crédito.

Para se preparar para o inesperado, além do fundo de emergência, comece por tentar pagar as dívidas que tem o mais rápido possível. Se tem crédito à habitação (como a maioria das pessoas), tente fazer amortizações extraordinárias para eliminar essa dívida enorme. Depois conseguirá ter mais dinheiro para poupar e investir, garantindo assim a solução para os problemas que possam vir a aparecer no futuro.

Com estas regras, conseguirá manter as suas finanças pessoais em ordem e preocupar-se em ter uma vida feliz sem pensar em dinheiro.

Anotar Despesas Mensais

A primeira coisa a fazer é determinar os seus comportamentos de gastos para poder identificar despesas desnecessárias.

Durante um mês inteiro, escreva todos os cêntimos que gasta, sem deixar escapar nada. Mesmo as despesas pequenas, como os cafés, devem ser anotadas. Se fizer isso correctamente, será claro quais as categorias em que você gasta mais dinheiro.

No final, compare todo o dinheiro que gastou com todo o dinheiro que ganhou. Ainda consegue poupar dinheiro ou nem sequer chegou a fim do mês?

Abater Custos

Faça também uma lista de todas as suas dívidas e taxas de juros anuais, para poder começar a cortar.

Sabendo onde gasta dinheiro, pode tomar algumas decisões:

  • Precisa de ganhar mais dinheiro?
  • Precisa de poupar dinheiro em algumas categorias?

O princípio básico de eliminação de dívidas é muito simples:

  • Eliminar o máximo de custos que não são fixos.
  • Utilizar o dinheiro que sobra no final do mês para pagar as dívidas mais depressa.

Estratégias Para Eliminar as Dívidas

Depois de determinar o máximo que consegue poupar, identifique as dívidas com taxas de juros mais elevadas, normalmente os cartões de crédito. Deixe as dívidas com menores taxas de juros para o final.

Quando conseguir eliminar totalmente a dívida mais elevada, coloque todo o seu dinheiro na dívida com a taxa de juro seguinte.

Outra coisa que pode fazer é transferir a dívida de taxas de juro elevadas para uma dívida de taxas de juro mais baixas, como é o caso dos créditos consolidados. Existem muitas empresas de aconselhamento de crédito que o podem ajudar.

Erros Comuns nas Finanças Pessoais do Casal

Pode pensar que está a gerir bens as finanças pessoaisda sua família, principalmente se o faz em conjunto com a sua parceira ou com o seu parceiro. No entanto, mesmo os casais mais inteligentes cometem alguns erros financeiros básicos, por isso aqui ficam alguns dos erros mais comuns para que possa evitar que atrapalhem o vosso relacionamento.

Não Saber Onde Gastam Dinheiro

Esta é uma das causas mais comuns para os problemas financeiros, porque a falta de gestão das finanças pessoais leva a que não consigam saber para onde está a ir o dinheiro ganho com tanta dificuldade. É importante fazer um orçamento doméstico e identificar todos os custos da sua família. Existem sites gratuitos que permitem acompanhar os ganhos e gastos de uma família.

Devem sentar-se em conjunto e fazer um budget familiar para o curto, médio e longo prazo. Além disso, semanalmente devem preencher um documento com todos os gastos que tiveram. Guarde todos os recibos das compras, pague com o cartão sempre que possível, para ficar com a prova daquilo que gastou e saber onde gastou.

Tudo o que pouparem com esta técnica deve ir direitinho para abater as dívidas mais problemáticas, com as dívidas dos cartões de crédito.

Não Pagar os Cartões de Crédito

As dívidas dos cartões de crédito devem ser pagas assim que possível, para não incorrer em juros. Se falharem esta simples regra, as finanças pessoais vão por água abaixo e é sempre a descer a partir aí.

Se já têm dívidas de cartão de crédito, contactem as empresas e vejam como podem renegociar as dívidas. Analisem a possibilidade de um crédito consolidado, para reduzirem os juros a curto prazo.

Nunca façam apenas o pagamento mínimo nos cartões de crédito, porque o acumular dos juros vai dar cabo das finanças pessoais em poucos meses. Nunca devem utilizar um cartão de crédito para compras impulsivas, porque senão nunca conseguirão controlar as finanças pessoais. É importante utilizar correctamente o cartão de crédito, porque poderá ter vantagens se o fizer.

O controlo das finanças pessoais deve ser uma prioridade do casal, para que não entrem em situações de conflito desnecessárias.

About Finanças Pessoais
Aqui vai encontrar as melhores informações sobre Finanças Pessoais. Aprenda a poupar, a ganhar, a investir, a viajar e muito mais...

Leave a comment

Your email address will not be published.

*