Educação financeira

A educação financeira é um aspecto da nossa sociedade não muito trabalhado nas instituições académicas, o que significa que a maior parte dos estudantes sai das escolas sem saber muito bem como funcionam as finanças. Mesmo em cursos superiores, este aspecto é bastante desvalorizado.

Isto explica que existam muitas pessoas com cursos superiores e com bons rendimentos, que depois não conseguem ter uma vida sem dívidas absurdas. Embora existam casos em que a vida não corre bem, na maioria das vezes o endividamento parte de escolhas pouco felizes em determinadas alturas.

Educação financeira sobre Juros Compostos

Já aqui vimos o poder dos juros compostos ao longo dos anos, que podem fazer qualquer pessoa ficar rica se conseguir investir algum dinheiro durante algum tempo. É até um dos passos para ficar rico facilmente.

O importante dos juros compostos é que o capital investido vai sempre aumentando, já que os juros são utilizados para o capital seguinte.

Para aproveitar ao máximo as potencialidades dos juros compostos, devemos poupar e investir o mais cedo possível, para que o dinheiro cresça no maior número de anos possível.

Por outro lado, não devemos utilizar produtos financeiros que cobram juros elevados, como por exemplo os cartões de crédito que podem cobrar juros a 20% ao ano, o que significa que ao fim de 5 anos acabamos por pagar praticamente o dobro do que pedimos emprestado.

Existe um factor importante quando consideramos investimentos que retornam juros. Esse factor chama-se inflação.

Educação financeira sobre Inflação

A Inflação é a alteração dos preços ao longo do tempo, actualizado quando os preços dos produtos e serviços aumentam. Acontece normalmente todos os anos, quando existem os aumentos dos passes, dos alimentos, dos salários, etc.

Por exemplo, se um produto custar hoje 10€ e a inflação for de 10%, esse produto irá custar 11€ após a actualização.

Este conceito explica porque é que os trabalhadores que não têm aumentos salariais ou têm aumentos abaixo da inflação, perdem poder de compra real. O dinheiro que temos hoje vai valer menos amanhã.

A inflação deve ser sempre levada em conta, quando planeamos os nossos investimentos, porque se tivermos um investimento a render 1% ao ano e a inflação for de 3%, estamos a perder dinheiro…

É também outro motivo pelo qual não se deve ter muito dinheiro numa conta à ordem que não renda juros, para isso vale mais investir em produtos financeiros a curto prazo (como contas a prazo de curta duração).

Educação financeira na bolsa

A menos que seja um grande conhecedor dos mercados e um investidor de grande qualidade, é melhor diversificar os seus investimentos do que comprar apenas acções de uma empresa, por melhor que ela lhe pareça. Se for o Warren Buffet, pode dar-se ao luxo de investir isoladamente em negócios que conhece, mas ele é talvez o melhor investidor do Mundo e isso traduz-se na fortuna que conseguiu fazer.

Para quem apenas deseja ter uns investimentos com algum risco (que existe sempre) é preferível investir em fundos que depois diversificam as acções que o compõem.

Como diz o ditado: Não ponha todos os ovos no mesmo cesto…

Aqui ficaram alguns conceitos de educação financeira explicados de forma simples. Alguns governos estão a começar a focar-se em aumentar a educação financeira dos seus habitantes, após terem feito estudos que demonstravam que as pessoas eram bastante desinformadas relativamente a conceitos simples, como estes que aqui foram mostrados. Estes países incluem os Estados Unidos da América, Reino Unido, Japão e Austrália.

About Finanças Pessoais
Aqui vai encontrar as melhores informações sobre Finanças Pessoais. Aprenda a poupar, a ganhar, a investir, a viajar e muito mais...

Leave a comment

Your email address will not be published.

*