Como escolher um PPR (Plano Poupança Reforma)

Devido ao aumento do consumo e da dívida das famílias dos últimos vinte ou trinta anos, foram criados os PPR (Plano Poupança Reforma) como incentivo para a poupança. Estes produtos financeiros são um complemento para a reforma, de modo a que perca o menos possível a sua qualidade de vida.

Já aqui falámos várias vezes das vantagens de poupar dinheiro diariamente, de fazer um orçamento, e de ter uma vida frugal para que possa poupar e investir no seu futuro.

Vantagens dos PPR

Uma das vantagens do PPR são os benefícios fiscais atribuídos pelo estado anualmente, onde conseguirá recuperar uma percentagem sobre um valor aplicado (com um valor máximo como tecto).

Normalmente os PPR são aconselhados a quem tenha mais de 40 anos, porque só podem ser resgatados quando atingir o estatuto de reformado ou cumpra alguns requisitos, mas nunca antes dos 60 anos. No entanto, existem situações especiais em que pode levantar o dinheiro antecipadamente, nomeadamente se sofrer uma doença que o incapacite de trabalhar.

Abaixo dos 40 anos deverá investir em produtos financeiros que possibilitem maiores retornos (porque tem um prazo maior para rentabilizar) e ao mesmo tempo maior liquidez (como acções ou fundos de investimento).

Quem deve subscrever um ppr plano poupança reforma?

O PPR – plano poupança reforma foi criado propositadamente para que as pessoas começassem a ser incentivadas a poupar dinheiro para complementar as suas reformas. Normalmente só faz sentido investir num ppr a partir de uma certa idade.

Só a partir dos 40

Os especialistas em finanças pessoais aconselham a investir em PPR apenas a partir dos 40 anos, enquanto as pessoas com idades inferiores a 40 anos deverão investir em produtos financeiros com maior liquidez e maiores rentabilizações, como por exemplo investir na bolsa.

Se ainda lhe faltarem mais de 15 ou 20 anos para a reforma pode optar por um PPR – plano poupança reforma com investimento em acções porque conseguirá maiores valorizações e o prazo alargado permite ganhos no mercado.

Quando já está mais próximo da reforma, deverá jogar mais na defensiva e apostar num produto financeiro com garantia de capital.

Uma das características do PPR é que não pode mexer no dinheiro após o investimento excepto em situação especiais, como:

  • Desemprego prolongado
  • Doença grave
  • Incapacidade para o trabalho

Tirando estas excepções, só pode levantar o dinheiro do PPR após a reforma ou a partir de uma certa idade.

Benefícios fiscais de um PPR

Como a criação do produto PPR foi feito precisamente para incentivar a poupança das famílias, o estado dá benefícios fiscais vantajosos a quem subscrever estes produtos financeiros.

Pode deduzir uma percentagem do investimento anual num PPR, que vai mudando de ano para ano na declaração do irs.

Tipos de PPR

Existem dois tipos de PPR disponíveis no mercado:

  • Os fundos PPR
  • Os seguros PPR

Seguros PPR

Quando optar por um seguro PPR pode ter ou não o capital garantido, os rendimentos garantidos também podem variar e estão normalmente indexados às taxas de juro dos mercados.

Os seguros PPR com garantia de capital são mais caros porque têm comissões mais elevadas por parte das instituições financeiras.

Fundos PPR

Os fundos PPR não têm garantia de capital e pode ser mais ou menos arriscado consoante os produtos onde investem.

Por exemplo, os fundos PPR que investem em acções têm risco elevado mais podem proporcionar maiores rentabilidades a longo prazo. O problema, claro, é que nada disto é garantido, daí a importância do prazo de subscrição do PPR.

O PPR é um excelente investimento a partir de uma certa idade, quanto mais não seja pelos benefícios fiscais que proporciona. Se ainda é novo opte por outros investimentos, veja onde investir.

Como Escolher Um PPR?

Os PPR (Planos de Poupança Reforma) são produtos muito populares para todos aqueles que desejam ter um complemento para a sua reforma, quando chegar o dia de deixar de trabalhar.

Como é uma forma de poupança, é sempre um investimento acertado, mas os PPR têm ainda uma outra grande vantagem, através dos benefícios fiscais que proporciona.

Comissões

Um dos custos mais significativos de subscrever um PPR é o das comissões de gestão, mais elevados nos seguros e mais baixos nos fundos.

Existem também os PPR públicos, que não cobram comissões e que ajudaram a descer as taxas das comissões. No entanto, continuam a existir estes custos de subscrição e gestão.

Capital a Investir

Deverá investir no seu PPR, o valor que lhe permite obter o máximo de benefício fiscal. A partir desse valor, mais vale olhar para outros investimentos que não lhe retêm o capital por tantos anos.

Há investimentos com maior liquidez e que podem ser mais interessantes, como é o caso de quem quer investir na bolsa de valores.

Escolher PPR Certo?

O Plano de Poupança Reforma depende da sua idade. Se tiver mais perto da reforma, não deverá arriscar tanto, por isso deverá optar por um PPR sob a forma de seguros, com garantia de capital.

Para quem ainda tem mais do que dez anos até atingir a idade da reforma, poderá ser um pouco mais audaz e investir num PPR que esteja sob a forma de fundos de acções. O potencial de valorização é bastante maior e o prazo alargado reduz o risco.

Para quem está ainda muito longe da reforma, mais de vinte anos para lá chegar, deverá optar por fazer investimentos em produtos mais arriscados, mas que também permitam maior liquidez. Pode aprender como investir em acções.

Os PPR (Planos de Poupança Reforma) são bons investimentos de poupança a longo prazo para muitas pessoas, por isso analise se é uma dessas pessoas.

About O Investidor

O Investidor explica como investir corretamente em vários ativos: Ações, Forex, Petróleo, Índices, Ouro

E para começar a investir já hoje, fizemos uma parceria com a PLUS500 para lhe oferecer 25€ gratuitamente!

Clique aqui para ganhar 25€ e começar a investir agora

Leave a comment

Your email address will not be published.

*